Blog Dr. Eliney Faria

Vigilância ativa para câncer de próstata: é possível ?

Vigilância ativa para câncer de próstata: é possível ?
Desde de que em casos selecionados sim. Hoje estava lendo alguns artigos e me deparei com este Europeu aqui que apesar de ter sido publicado há mais tempo ainda reflete a realidade sobre pacientes com câncer de próstata localizado de baixo ou intermediário que desejam fazer vigilância, publicado pelo Dr. Meelan Bul
A maioria dos estudos sobre vigilância ativa não tem resultados de longo prazo disponíveis; de fato, faltam dados sobre pacientes com doença de risco intermediário. Este artigo demonstrou a viabilidade da vigilância ativa para câncer de próstata (CAP) de baixo risco e também apoiam um papel de vigilância ativa em pacientes selecionados com CAP de risco intermediário. Eles avaliaram ao todo, 509 pacientes com CAP, dos quais 381 foram considerados de baixo risco e 128 de risco intermediário com seguimento mediano de 7,4 anos. Dentre estes, um total de 221 pacientes (43,4%) mudaram para tratamento curativo após uma mediana de 2,6 anos. Este estudo mostra taxas de sobrevivência câncer-específica em 10 anos de 99,1% e 96,1% para pacientes de baixo risco e risco intermediário, respectivamente (P = 0,44), e para sobrevida geral 79,0% e 64,5%, respectivamente (P = 0,003). Este estudo confirma a viabilidade da vigilância ativa de acordo com critérios contemporâneos, e também sugere um papel potencial para a vigilância ativa em homens selecionados.